Blog que retrata os acontecimentos do mar e porto de Viana e arredores, nos bons e maus momentos, dos pequenos aos grandes senhores.

28
Mar 07

Nos países frios, com temperaturas bastante negativas durante o Inverno, como é o caso da antiga União Soviética, o consumo de álcool para estimular a produção de energia, é um hábito muito comum enraizado na cultura desses povos ao longo dos séculos.

Em meados da década de oitenta do século passado, muitos navios da antiga URSS efectuaram reparações nos ENVC , enquanto eram construídos novos navios mar-rio , os SORMOVSKY's ".Chegaram a estar surtos no porto de Viana do Castelo dez navios, com um contingente de aproximadamente 700 tripulantes. Pelas ruas de Viana era frequente encontrarmos tripulantes oriundos dos países de Leste; Russos, Lituanos, Letões, Estonianos, Ucranianos, Moldavos, facilmente identificáveis pela maneira de vestir e pela fala, pouco comum para os ocidentais.

Um dia, ia eu pela rua Manuel Espregueira, ao fim da tarde, e deparei com um cenário pouco comum, um amontoado de tripulantes soviéticos à porta da Farmácia Central e, descortinei entre eles, o Imediato de um dos navios, por sinal um dos poucos que falava um pouco de inglês e perguntei-lhe o que faziam ali?

A resposta foi rápida: - Vodka, Pilot ! A príncípio não percebi?! Vodka na farmácia? Sim, aprontou-se ele a explicar. Com um frasco de álcool , conseguiam faxer cerca de 1,5 litros de Vodka,  que lhes ficava mais barato do que comprá-lo no supermercado, a preços proíbitivos para as parcas economias deles. Soube de casos em que vendiam os seus haveres pessoais para terem alguns escudos para comprarem uma lembrança para os filhos e esposas. Fui uma vez abordado por um que me queria vender uma máquina fotográfica e uma máquina de barbear usadas e um pouco fora de moda, para o gosto ocidental.

Quando as provisões de Vodka se esgotavam, por motivo de estadias mais prolongadas que o que estava previsto, era vê-los em fila à porta das farmácias para conseguirem um frasco de álcool . Em algumas farmácias o álcool esgotou, tanta era a procura desse líquido de tão elevado teor alcoólico, 95%, impróprio para consumo humano, mas que os Soviéticos utilizavam para preparar a famosa bebida, tão apreciada por esses povos.

Com o derrube do muro de Berlim e a consequente queda da União Soviética, deu-se a abertura do mercado soviético e estabeleceu-se o comércio dos produtos oriundos dos países recém libertados, com os países Europeus. A Vodka invadiu o mercado ocidental a preços que até então eram proíbitivos, devido à raridade do produto. 

Actualmente, em qualquer supermercado, é possível encontrar a Vodka a preços perfeitamente acessíveis e em quantidades que nos tempos da antiga URSS não era possível. Hoje , era impensável assistir às cenas passadas nos meados da década de oitenta, com os tripulantes dos navios Soviéticos, às portas das farmácias.

O grande número de imigrantes oriundos dos recém formados países de Leste, a viverem no nosso país, felizmente não precisam de recorrer a esse estratagema para satisfazerem os seus hábitos culturais de ingestão de Vodka.

publicado por dolphin às 21:03

Março 2007
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3

4
5
6
7
8
9

12
14
15
16
17

19
20
21
22
23

29
30


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

subscrever feeds
Contador
mais sobre mim
pesquisar
 
pour générerller dans votre page web.
TIME
blogs SAPO