Blog que retrata os acontecimentos do mar e porto de Viana e arredores, nos bons e maus momentos, dos pequenos aos grandes senhores.

19
Out 09

 

Encontrei este cartaz numa feira de antiguidades e chamou-me à atenção por  se tratar de um navio em que estive para embarcar, mas também por se tratar de publicidade em espanhol a uma companhia de navegação portuguesa - a Companhia Colonial de Navegação e do paquete Santa Maria que já tive ocasião de referir anteriormente (vide post "Assalto ao Santa Maria"-30-05-2008).

publicado por dolphin às 22:41
tags:

14
Out 09

No princípio do Século passado, Viana do Castelo foi pioneira na construção naval em cimento armado num dos cinco estaleiros então existentes - O Estaleiro da Moderna Construtora Naval, Lda. - sito a montante da Ponte Eiffel.

O Estaleiro da Moderna Construtora Naval, Lda., foi criado por escritura pública lavrada no escritório do Dr. João Caetano da Silva Campos, à Praça da República no dia 28 de Agosto de 1919, tendo como sócios Bernardo Pinto Abrunhosa (tio-avô do cantor Pedro Abrunhosa), casado, industrial e proprietário, natural de Vila Nova de Gaia mas a residir em Viana do Castelo, Dom Cipriano Salvatierra Y Iriarte, solteiro, maior, engenheiro, natural de Pamplona e Dom Afonso Peña Boeuf, também solteiro, maior, engenheiro, da cidade de Madrid, tendo como objecto "a exploração e fabrico de barcos, pontões, barcaças e construções navais flutuantes de toda a espécie em cimento armado ".

O primeiro pontão ou armazém flutuante construído por este estaleiro ocorreu em 28/10/1920 e foi-lhe dado o nome de "GIGANTE" devido ao seu tamanho e tonelagem.

A Aurora do Lima descreve desta forma o lançamento à água:"O barco, pelas 2 1/2 horas da tarde deslisou rapidamente pela carreira, movendo-se aquella enorme móle com uma facilidade admiravel. Ao entrar na agua levantou uma grande ondulação e depois, com o impulso adquirido e com a direcção que o leme lhe imprimiu seguiu um pouco rio acima, sendo então rebocado até a jusante do caes de S.Lourenço,..."

Foi o primeiro deste género construído em estaleiros portugueses e mesmo em toda a península.

Depois de vistoriado na baixa-mar, entrou na doca para aprestamentos (mastro e outros equipamentos), seguiu para a Ria de Vigo conduzido por um rebocador portuense.

 

publicado por dolphin às 23:00
tags:

04
Out 09

Manhã fumada de Outubro. Começaram as neblinas do Outono. Já não apetece a caminhada no molhe. O chiparraço da maresia estatela-se contra os  doles e cobre de limo o passadiço cimentado, tornando-o escorregadio.

Sem muita vontade, avanço cauteloso na esperança que a neblina se esfume e o sol brilhe. Abstraído com os meus pensamentos, só perto do farolim da ponta do molhe, reparo que a neblina está a dissipar-se. Já se vê a praia do Cabedelo e um rebocador "Monte Xisto" junto à bóia de entrada ou de espera.

Rebocador "Monte Xisto"

Está um navio para entrar, penso eu, arreigado ainda ao hábito de muitos anos naquelas andanças.

Saco da máquina fotográfica, minha companheira inseparável e vai de fotografar a cena, apesar das condições de luminosidade não serem as ideais.

O nevoeiro ainda se mantinha por fora, do lado do mar quero eu dizer (sempre à baila os termos profissionais!). Enquanto isso vou fotografando as gaivotas, eternas companheiras do homem do mar em todos os mares!

Gaivotas,eternas companheiras!...

O nevoeiro vai limpando e começa-se a divisar a silhueta dum navio que demanda a barra, devagar, como mandam as regras, na calma silenciosa do mar debaixo de neblina.

Silhueta do navio...

Uma traineira, vinda do Norte, avança para a barra, apressada para vender a sardinha na lota.

A traineira

A lancha dos pilotos, a velhinha "Quebramar" que há muitos anos (mais de 25) fui buscar a Aveiro, ainda no tempo do velho piloto Agostinho, cumprida a sua missão de levar o piloto a bordo, passa célere em direcção ao cais.

A lancha "QUEBRAMAR"

O navio-tanque NEPHELI, com carregamento de asfalto, está dentro da barra. O reboque acompanha-o, aguardando ordens do piloto da barra para, em caso de necessidade, auxiliar na manobra de atracar ao cais.

O navio "NEPHELI"

Missão cumprida. Esta é uma das tarefas do piloto da barra, conduzir o navio com segurança ao cais ou levá-lo com segurança  até fora da barra. Tarefa árdua e de responsabilidade que passa despercebida à maioria das pessoas, mas que é bom lembrar que existem e que são importantes  na actividade portuária.

 

publicado por dolphin às 13:27
tags:

02
Out 09

 

Chegou assim como se pode ver na fotografia. Atracou no cais do Bugio, aguardando vaga na doca-seca n.º 1 dos ENVC.

 

 

Pouco a pouco foi ganhando cor

 

 

Deram-lhe um nome, Abel Matutes e lavaram-lhe a cara

 

 

Na doca de aprestamento dos ENVC recebe os últimos acabamentos

 

 

De proa virada para o mar prepara-se para sair brevemente para a 1.ª viagem

 

 

publicado por dolphin às 23:56
tags:

Outubro 2009
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3

4
5
6
7
8
9
10

11
12
13
15
16
17

18
20
21
22
23
24

25
26
27
28
29
30
31


subscrever feeds
Contador
mais sobre mim
pesquisar
 
pour générerller dans votre page web.
TIME
blogs SAPO