Blog que retrata os acontecimentos do mar e porto de Viana e arredores, nos bons e maus momentos, dos pequenos aos grandes senhores.

25
Mar 07

No momento em que escrevo este post decorre na RTP 1 o programa/debate acerca de quem devemos considerar que foi o maior português.

O tema é polémico e difícil e mais controverso se torna quando os critérios de avaliação não geram consenso, adulterando qualquer perfil que se possa eleger. Dentro dos cinco critérios estabelecidos: -  génio, liderança , bravura, compaixão e legado , qual deles tem maior valor?

Todos sabemos que se trata de um programa televisivo que tem outros objectivos, especialmente a conquista de audiências, no entanto a forma como está ou foi estruturado deixa muitas dúvidas e reticências quanto ao objectivo final.

A fiabilidade do apuramento final é desta forma posta em causa, deixando na opinião pública uma imagem distorcida da realidade objectiva e imparcial que se devia exigir relativamente ao tema. Trata-se de escolher o português com quem nos identificamos, aquele que representa algo em que nos revemos.

Dificilmente conseguimos encontrar um consenso, porque somos diferentes, vemos as coisas de maneira diferente e ainda bem que assim é, mas se partirmos das mesmas premissas as conclusões serão mais correctas.

As sondagens, embora não vinculativas e representativas, apresentam-nos valoração diversa conforme as personalidades. Os próprios defensores dessas personalidades defendem de forma desigual os critérios propostos, naturalmente quem é apologista que o génio é mais importante, vota numa personalidade detentora dessa característica, quem apoia a compaixão logicamente votará em quem goza dessa faceta. Como à partida esses critérios não foram valorados, o resultado que se apurar não corresponderá certamente ao perfil do grande português que se pretende eleger.

O legado na minha opinião tem um valor acima dos outros critérios por aquilo que deixa para o futuro e contribui para o engrandecimento vindouro da humanidade. Neste aspecto a minha preferência vai naturalmente para o Infante D. Henrique que contribuiu para o progresso da humanidade como nenhum outro português ao fundar a Escola Náutica de Sagres, a maior do tempo, mais famosa, com os melhores cosmógrafos, cartógrafos, matemáticos, cientistas formando os navegadores, pilotos, mestres e marinheiros que possibilitaram a descoberta do mundo.

Sem esse legado, não seria possível a descoberta do caminho marítimo para a Índia , o culminar da epopeia dos descobrimentos que esteve na origem e na visão do Infante D. Henrique  desde a primeira hora.

publicado por dolphin às 23:32

Março 2007
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3

4
5
6
7
8
9

12
14
15
16
17

19
20
21
22
23

29
30


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Contador
mais sobre mim
pesquisar
 
pour générerller dans votre page web.
TIME
blogs SAPO