Blog que retrata os acontecimentos do mar e porto de Viana e arredores, nos bons e maus momentos, dos pequenos aos grandes senhores.

26
Mar 07

António de Oliveira Salazar foi o preferido dos portugueses com 41% dos votos.

Será ele o maior Português? É a dúvida que se poe a todos, mesmo aqueles que votaram nele.

De facto, não se pode  concluir com rigor quem é o maior português.

Já se esperava este desfecho. O programa sofreu uma alteração, em meu entender para tentar inverter o resultado da 1.ª fase. Não o conseguiu e apesar de uma descida do candidato vitorioso - segundo a estatística - os gráficos indicaram que ela não foi suficiente para inverter o sentido de voto.

Os analistas e os defensores dos candidatos, cada um a seu modo, apresentaram argumentos para justificar o resultado da votação. Uns disseram que foi um voto de protesto, outros o pouco distanciamento no tempo. Para mim, registei a posição de um deles e sou da mesma opinião que em grande parte este sentido de voto deve-se à falta de instrução que o pós 25 de Abril, não quis ou não soube dar à grande maioria dos portugueses que ainda vivem obcecados e presos a esse passado.

Das conversas que tenho com diversas pessoas, muitas delas insuspeitas quanto ao seu partidarismo, ouço por vezes estes desabafos: -" Falta cá o Salazar! Ai se o Salazar fosse vivo isto não acontecia!"... e por aí fora. É  um sinal de descontentamento, de inconformismo no fundo de saudosismo. É assim o povo, de memória curta,  parece que gosta do jugo, da opressão.

Por outro lado, e este é o que mais pesa na minha análise, a falta de instrução em que estavamos mergulhados no tempo do ditador(Salazar), pouco melhorou com o 25 de Abril. Não se procurou dar ao povo formação suficiente para que ele pudesse decidir o que é melhor para si.

Andamos anos a discutir programas escolares sem jamais ter chegado a um programa adequado aos tempos em que vivemos. A cada passo somos confrontados com críticas do género: - "No meu tempo é que se aprendia! Esta malta agora não sabe nada! Andam a passear os livros! Os professores não ensinam nada querem é o deles ao fim do mês!.".. e nunca mais acabava o rol de comentários negativos ao sistema de ensino que se ministra nas escolas.

Um povo que não é instruido não pode ser bom decisor, daí que perante situações como esta tome posições que só revelam falta de conhecimento. No tempo da outra senhora, como se diz quando nos queremos referir precisamente ao tempo de Salazar, o povo vivia mergulhado num obscurantismo propositado, para poder ser mantido na ignorância, para não saber nem poder decidir sobre coisas importantes para si e para o seu país.

O 25 de Abril veio abrir uma porta de esperança ao povo, especialmente no ensino, na educação, na cultura, mas, passados 32 anos o que melhorou neste e noutros aspectos essenciais para o crescimento do país? Por isso há também neste voto um sentimento de frustração. 

publicado por dolphin às 20:53

Março 2007
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3

4
5
6
7
8
9

12
14
15
16
17

19
20
21
22
23

29
30


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Contador
mais sobre mim
pesquisar
 
pour générerller dans votre page web.
TIME
blogs SAPO