Blog que retrata os acontecimentos do mar e porto de Viana e arredores, nos bons e maus momentos, dos pequenos aos grandes senhores.

25
Ago 17

É o título de um livro de minha autoria, que foi lançado no passado dia 15 de julho.

Curiosamente, este ano, os moradores da Rua Frei Bartolomeu dos Mártires (antiga rua do Leite), resolveram enfeitar a rua por ocasião da Romaria da Senhora da Agonia, com motivos alusivos aos naufrágios mais notórios que ocorreram no século XX em que intervieram marítimos do bairro da Ribeira de Viana, tão martirizada foi nesse século.

Registei em imagens alguns desses retábulos representativos dessas tragédias, com que os atuais moradores quiseram homenagear os seus mortos e que pretendem simbolizar os estados de alma das gentes que viveram esses acontecimentos funestos.

DSCN5362.JPG

O farol símbolo da orientação e apoio que dá aos homens do mar.

DSCN5363.JPG

A Senhora da Agonia a quem imploram em momentos de crise.

DSCN5375.JPG

Cristo pregado na cruz, outro símbolo da fé cristã, que carateriza as gentes do mar e a ele ligadas.

DSCN5379.JPG

Frei Bartolomeu dos Mártires, o santo de Viana e dos marítimos que a ele imploravam ainda em vida para acalmar o mar.

DSCN5385.JPG

Imagem do Sagrado Coração de Jesus, outra devoção enraizada nas martirizadas gentes da Ribeira.

DSCN5367.JPG

É o nome de um barco de pesca em que morreram sete infelizes pescadores, cuja memória perdorou por muitos anos até que outra mais grave veio fazer esquecer.

DSCN5368.JPG

Em memória dos que pereceram no naufrágio do salva-vidas «Ferreira do Amaral», quando assistia na entrada os barcos de pesca. Foram eles o mestre César e os marinheiros Mário Marques da Guia e António de Passos Pacheco, tendo-se salvado únicamente o motorista João Alves Viana.

DSCN5372.JPG

A tragédia do rebocador «Rio Vez», que trazia de Leixões um batelão a reboque, submergiu na barra, levando com ele para o fundo os seus oito tripulantes, salvando-se apenas os três tripulantes do batelão que entretanto deu à praia.

DSCN5373.JPG

Este barco da Ribeira de Viana, governado pelo arrais José Verde Gonçalves Lomba, foi vítima de abalroamento provocado pelo navio mercante norueguês «Bayard» em que pereceram 5 tripulantes, entre eles o arrais, salvando-se os restantes seis com a ajuda do barco «Virgem das Graças» que os trouxe para Viana.

Muitos outros foram vítimas de naufrágios. No livro com o título acima, que poderão encontrar na loja do CER no largo do Instituto Histórico do Minho, ao lado da Sé de Viana ou através dos endereços estudosregionais@sapo.pt ou livraria@cer.pt , encontrarão outros naufrágios e mais pormenores sobre estes acontecimentos trágicos ocorridos nos séculos XIX e XX no «MAR DE VIANA».

 

publicado por dolphin às 16:04

27
Set 07

 

 


 

 

NOS MARES DA TERRA NOVA - A REBOQUE

 

 

 

 EM LISBOA - DE PARTIDA

 

 

VIANA - DOCA COMERCIAL - QUERENAGEM

publicado por dolphin às 01:11
tags:

24
Set 07

 

 

Que beleza !

 

 

 

Que maravilha !

 

 

 

 

Que saudade !

publicado por dolphin às 21:08
tags:

23
Set 07

 

 

 

 

Rio Lima - lugre de 4 mastros, nos estaleiros do Campo da Feira no príncípio do sec.XX, no dia do bota-abaixo.

 

 

Rio Lima - Navio-motor, no anteporto, depois de sair da doca de construção dos ENVC, em 1952.

 

 

Leone - ex. Rio Lima - Arrastão, nos últimos dias da sua existência, cerca de 1995.

 

 

publicado por dolphin às 16:34
tags:

20
Set 07

 VIGIA...NDO !

 

 

AGUA...RDANDO !

 

 

 

A PARTIDA...

 

 

...EM SETÚBAL.

 

 

NA GROENLÂNDIA...ENCALHADO! 

 

TENTATIVA FRUSTRADA..

publicado por dolphin às 00:02
tags:

Agosto 2017
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5

6
7
8
9
10
11
12

14
15
16
17
18
19

20
21
22
23
24
26

27
28
29
30
31


subscrever feeds
Contador
mais sobre mim
pesquisar
 
pour générerller dans votre page web.
TIME
blogs SAPO